PRÁTICAS ESTRATÉGICAS E ESTRATEGISTAS: ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE SANTA CATARINA

Ana Célia Bohn, Sidnei Grígolo, Jorge Harry Harzer

Resumo


O estudo objetivou uma análise da prática estratégica e dos estrategistas, na forma de estudo de caso em uma IES. Buscou-se identificar as ações estratégicas, os estrategistas e os mecanismos institucionais isomórficos relacionados com a prática da estratégia por meio de pesquisa de caráter qualitativa e descritiva. Os participantes do estudo foram a gestora acadêmica e a pedagoga, enquanto respondentes de entrevista semiestruturada e em profundidade, cujo instrumento refere-se a um roteiro já testado e validado por Walter (2010). Para a construção deste houve análise de documentos internos, e a observação direta da pesquisadora. As entrevistas foram gravadas em áudio e transcritas literalmente. As abordagens teóricas que contemplaram esta construção foram a estratégia como prática e o isomorfismo. Os dados obtidos por meio da pesquisa foram descritos e analisados em categorias de análise. Na análise dos dados e resultados verificou-se a presença do isomorfismo do tipo mimético, como predominante na IES. Por momentos, percebeu-se a inclusão do isomorfismo coercitivo advindo das estratégias macro da Instituição. Percebeu-se uma movimentação das pessoas em todos os níveis no sentido de “estratetizar”, sendo colaboradores dos mais diversos níveis dentro da IES. Já em termos externos, observou-se a participação e o atendimento à comunidade local.


Palavras-chave


Estratégia; Estratégia como prática; Estrategistas; Isomorfismo; Strategy; Strategy as practice; Strategists; Isomorphism

Texto completo:

PDF

Referências


BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva. São Paulo: Pearson, 2007.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, p. 147-160, 1983.

HAIR JR., J.F.; BABIN, B.; MONEY, A.H.; SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HANNAN, M. T.; FREEMANN, J. The population ecology of organizations. American Journal of Sociology, v. 82, p. 929 – 964, 1977.

INEP. Resumo técnico: censo da educação superior 2009. Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2009.

JARZABKOWSKI, P. Strategy as practice: an activity-based approach. London: Sage, 2003.

_______. Strategy as practice: an activity-based approach. London: Sage Publication, 2005.

_______.; BALOGUN, J.; SEIDL, D. Strategizing: the challenges of a practice perspective. Human Relations, v. 60, n. 1, p. 5-27, 2007.

JOHNSON, G.; Langley, A.; Melin, L.; Whittington, R.. Strategy as practice: research directionas and resources. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

KELLER, G. Academic strategy. Baltimore: The Johns Hopskins University, 1983.

MEYER JR., V. Planejamento universitário: ato racional, político ou simbólico: um estudo de universidades brasileiras. Revista Alcance, v. 12, n. 3, p. 373-389, 2005.

MANTERE, S.; WHITTINGTON, R. Becoming a strategist: senior manager trajectories. In: EUROPEAN GROUP OF ORGANIZATIONAL, 23., 2007 Vienna, Austria. Anais... Viena: EGOS, 2007.

MINTZBERG, Henry; LAMPEL, Joseph; QUINN, James B.; GHOSHAL, Sumantra. O Processo da Estratégia. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MINTZBERG, H. The strategy concept 1: the five Ps of strategy. California Management Review. v. 30, n. 1, p. 11-24, 1987.

STAKE, R. E. The art of case study research. London: Sage Publications, 1995.

SILVEIRA, A.; DOMINGUES, M. J. C. S. Reflexões sobre administração universitária e ensino superior. Blumenau: Edifurb, 2010.

VIZEU, F.; GONÇALVES, S. A. Pensamento estratégico: origens, princípios e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2010.

WALTER, S. A.; ROCHA, D. T; DOMINGUES, M. J. C. S.; TONTINI, G. De professor a gestor: uma análise do perfil dos gestores dos cursos de administração das instituições de ensino superior da região oeste do Paraná. Revista Angrad, v. 8, p. 53-72, 2007.

_______. Mecanismos isomórficos e práticas estratégicas: o caso da Sooro. 2010. 267f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2010.

_______.; AUGUSTO, P. O. M.; FONSECA, V. S. O campo organizacional e a adoção de práticas estratégicas: revisitando o modelo de Whittington. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2011.

WALTER, S. A.; MEYER JR., V. Estratégias acadêmicas: análise de uma escola de administração. In: SILVEIRA, A.; DOMINGUES, M. J. C. (Coord.). Reflexões sobre administração universitária e ensino superior. Blumenau: Edifurb, p. 73-100, 2008.

WHITTINGTON, R. Strategy as practice. Long Range Planning, v. 29, n. 5, 1996.

_______. The work of strategizing and organizing: for a practice perspective. Strategic Organization, v. 1, n. 117, 2003.

_______. Completing the practice turn in strategy research. Organization Studies, v. 27, n. 5, p. 613-634, 2006.

WOOTEN, M.; HOFFMAN, A. J. Organizational fields: past, present and future. In: GREENWOOD, R. et al. (Eds.).The Sage handbook of organizational institutionalism. London: Sage Publications, 2008. p. 130 -147.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.24883%2Fric.v7i2.214

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.


 Atelier Brasil
Rua Pe. Guilherme Pompeu, 01, Centro
06501-055, Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
(ISSN 2236-210X – DOI 10.24883)

Contato institucional: senioreditorial@inteligenciacompetitivarev.com.br



  Indexadores e Diretórios                    
             


SitesDOMÍNIO PÚBLICO CAPES l IAFIE l SCIP l IAFIE l USP l FMU  l ABRAIC SEER/IBICT  l ISSN l EventosANPAD l NormasABNT

 

Visualização no Brasil e no Mundo por localização e período: