CONSIDERAÇÕES EM RELAÇÃO A EXPATRIAÇÃO E GLOBALIZAÇÃO: INTERFACES COM O ESPORTE

Ivan Wallan Tertuliano, José Maria Montiel, Silvia Deutsch, Afonso Antonio Machado

Resumo


O presente ensaio tem como foco a temática expatriação no esporte e sua relação com a globalização. Assim, o objetivo do presente estudo foi conceituar os fenômenos expatriação e globalização e apontar a relação entre tais fenômenos no contexto esportivo e suas consequências para pessoa que participa da expatriação (migração). Nessa proposta de ensaio teceu-se sobre as diferentes definições que o termo expatriação recebe e como se deu o processo de globalização do esporte, principalmente na sua transformação em produto. Finaliza-se, o presente ensaio, com a relação entre o aumento da expatriação no âmbito esportivo e a globalização do esporte. Na guisa de considerações, o texto apresenta considerações de que a globalização do esporte impulsionou a expatriação de atletas e, com isso, surge a necessidade de melhor compreensão de tais relações, bem como das consequências que a expatriação tende a ocasionar para o atleta, seja positivas ou negativas, além da necessidade de preparação dos atletas antes da expatriação.


Palavras-chave


Expatriação; Globalização Esporte; Atleta

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ADLER, N. J. Women in International Management: Where are They? California Management Review, v. 26, n. 4, p. 78–89, 1984.

AGERGAARD, S. Elite athletes as migrants in Danish women’s handball. International Review for the Sociology of Sport, v. 43, n. 1, p. 5–19, 2008.

AGERGAARD, S.; RYBA, T. V. Migration and Career Transitions in Professional Sports: Transnational Athletic Careers in a Psychological and Sociological Perspective. Sociology of Sport Journal, v. 31, n. 2, p. 228–247, 2014.

ANDREFF, W. Correlation between Economic Underdevelopment and Sport. European Sport Management Quarterly, v. 1, n. 4, p. 251–279, 2001.

ANDREFF, W. Globalization of the sports economy. Rivista di diritto ed Economia dello Sport, v. 4, n. 3, p. 13–32, 2008.

ANDREFF, W. Why Tax International Athlete Migration? The ’Coubertobin’ Tax in a Context of Financial Crisis. In: MAGUIRE, J.; FALCOUS, M. (Ed.). Handbook on Sport and Migration: Borders, Boundaries and Crossings. Oxon: Routledge, 2010. p. 31–45.

ANTONIAZZI, A. S.; DELL’AGLIO, D. D.; BANDEIRA, D. R. O conceito de coping: uma revisão teórica. Estudos de Psicologia, v. 3, n. 2, p. 194–273, 1998.

BARTHOLOMEU, D.; MONTIEL, J. M.; MIGUEL, F. K.; CARVALHO, L. F.; BUENO, J. M. H. Atualização em avaliação e tratamento das emoções. São Paulo: Vetor, 2013.

BARTLETT, C. A.; GHOSHAL, S. What is a global manager? Harvard Business Review, v. 70, n. 5, p. 124–132, 1992.

BONACHE, J. “La Gestión de Expatriados”. In: TIMES, F.; BONACHE, J.; CABRERA, Á. (Ed.). Dirección Estratégica de Personas. Madrid: Prentice Hall, 2002. p. 479–398.

BOTELHO, J. M. M. Internacionalização de empresas: contributos para a construção de um modelo de suporte à análise e à implementação de estratégias de internacionalização. 2015. 348p. Tese (Doutorado) - Universidade de Évora, Évora, 2015.

BRANDÃO, J. P. P. Processos de Expatriação na Gestão Internacional de Recursos Humanos (GIRH): Fatores que influenciam a performance dos expatriados. 2012. 128p. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Porto, Porto, 2012.

BRANDÃO, M. R. F.; MACHADO, A. A. Competências psicológicas no esporte infanto-juvenil. 1. ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2016.

BRANDÃO, M. R. F.; MAGNANI, A.; TEGA, E.; MEDINA, J. P. Além da cultura nacional : o expatriado no futebol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 21, n. 2, p. 177–182, 2013.

BRASIL, Ministério das relações exteriores. Tabela de estimativas de brasileiros no mundo 2014. Itamaraty Online. 28 ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2016.

CALIGIURI, P. M. Selecting expatriates for personality characteristics: a moderating effect of personality on the relationship between host national contact and cross-cultural adjustment. Management International Review, v. 40, n. 1, p. 61–80, 2000.

CARDOSO, P. M. S.; RIBEIRO, C. H. V. Football and Migration: The process for transfer of players brasileiros for other countries. Fiep Bulletin, v. 78, p. 50–53, 2008.

CARRON, A. V.; SPINK, K. S. Team building in an exercise setting. The Sport Psychologist, v. 7, n. 1, p. 8–18, 1993.

CARVALHO, S. M. S. A relação entre a gestão da carreira e a expatriação: um estudo quantitativo com repatriados portugueses. 2016. 137p. Dissertação (Mestrado) - Instituto Politécnico do Porto, Vila do Conde, 2016.

CERTO, S. Administração Moderna. São Paulo: Makron Books, 1997.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL. História do Vôlei Brasileiro. 1 fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2016.

DARBY, P. Migração para Portugal de jogadores de futebol africanos: Recurso colonial e neocolonial. Analise Social, v. 41, n. 179, p. 417–433, 2006.

DOZ, Y.; SANTOS, J.; WILLIAMSON, P. From Global to Metanational: How Companies Win in the Knowledge Economy. Academy of Management Executive, v. 16, n. 2, p. 173–174, 2001.

ETTINGER, T.; OLIVA, E. C.; KUBO, E. K. M.; ZAMBANINI, M. E.; SOARES, D. A. S. R. Políticas de Recrutamento e Seleção nos Programas de Expatriação: uma comparação entre transnacionais brasileiras. Desenvolvimento em questão, v. 14, n. 34, p. 189–213, 2016.

FAGGIANI, F. T. O processo de aculturação e a adultez emergente em atletas de Futebol. 2017. 93p. Tese (Doutorado) - Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

FAGGIANI, F. T.; STREY, A.; FUGINITI, D.; LINDERN, D.; AIQUEL, P. F.; SARTORI, C. O Fenômeno do Expatriado no Contexto Esportivo. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 36, n. 3, p. 738–747, 2016.

FONTES, A. C. A vida nômade de atletas que vestem camisas de vários times pelo mundo. Globoesporte.com. 13 jul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 maio. 2015.

FREITAS, L. P. R.; COSTA NETO, J. R.; CARDOSO, R. M.; FERREIRA, M. P. P. Estudo do fenômeno do regresso de ex-atletas sul-mineiros de futebol do exterior. Lecturas: Educación Física y Deportes, v. 16, n. 164, p. 1–9, 2012.

GALLON, S.; ANTUNES, E. D. D. Processo de Expatriação: um modelo com fases e práticas. Revista eletrônica de estratégia & negócios, v. 8, n. 2, p. 54–84, 2015.

GONZÁLEZ, J. M. R.; OLIVEIRA, J. A. Os efeitos da expatriação sobre a identidade: estudo de caso. Cadernos EBAPE.BR, v. 9, n. 4, p. 1122–1135, 2011.

GUEDES, B. M. D. Stresse Em Expatriados – Transpor As Fronteiras De Si –. 2012. 101p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2012.

IANNI, O. Teorias da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

INTERNATIONAL MONETARY FUND. 2008 Triennial Surveillance Review Thematic Findings. 02 set. 2008. Disponível em: . Acesso em: 5 jul. 2016.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MACHADO, F. S. Gestão de pessoas interncional no contexto esportivo brasileiro: uma análise dos processos de expatriação e repatriação de jogadores em um clube de futebol gaúcho. 2013. 176p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

MACHADO, H. V.; HERNANDES, C. A. Alteridade, Expatriação e Trabalho: Implicações para a Gestão Organizacional. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, n. 3, p. 53–73, 2004.

MACHARZINA, K.; OESTERLE, M. J.; BRODEL, D. Aprendizado em Multinacionais. In: TANURE, B.; DUARTE, R. G. (Ed.). Gestão Internacional. São Paulo: Saraiva, 2006. p. 107–151.

MARTENS, R.; BURTON, D.; VEALEY, R. S.; BUMP, L. A.; SMITH, D. E. Development and validation of the Competitive State Anxiety Inventory-2. In: MARTENS, R.; VEALEY, R. S.; BURTON, D. (Ed.). Competitive anxiety in sport. Champaign: Human Kinetics, 1990. p. 117–232.

MATTOS, G. Dicionário Júnior da Língua Portuguesa. 1. ed. São Paulo: FTD, 2010.

PEREIRA, C. F.; SABOIA, J. O processo de expatriação de executivos globais: o estudo de caso da Lanxess S/A. Revista Escola de Negócios, v. 3, n. 2, p. 1–14, 2015.

PIERAY, N. Company Internationalisation: Active and Reactive Exporting. European Journal of Marketing, v. 15, n. 3, p. 26–40, 1981.

PISANI, M. S. Migrações e deslocamentos de jogadoras de futebol: mercadoria que ninguém compra? Esporte e Sociedade, v. 9, n. 23, p. 1–11, 2014.

PONS, J.; VILADRICH, C.; RAMIS, Y.; POLMAN, R. The Mediating Role of Coping between Competitive Anxiety and Sport Commitment in Adolescent Athletes. The Spanish journal of psychology, v. 21, p. E7, 2018.

PONTES, V. S.; RIBEIRO, C. H. V.; GARCIA, R. M.; PEREIRA, E. G. B. Migração no Voleibol brasileiro: a perspectiva de atletas e treinadores de alto rendimento. Movimento, v. 24, n. 1, p. 187–198, 2018.

PRAPAVESSIS, H.; CARRON, A. V. The role of sacrifice in the dynamics of sports teams. Group dynamics: theory, research, and practice, v. 1, p. 231–240, 1996.

PRESTES, V. A.; GRISCI, C. L. I. Autoexpatriação: uma compreensão à luz dos movimentos de territorialização, desterritorialização e reterritorialização. In: IX Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: 2016.

PRONI, M. W. Esporte-espetáculo e futebol-empresa. 1998. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

REGO, A.; CUNHA, M. P. Manual de Gestão Transcultural de Recursos Humanos. Lisboa: RH Editora, 2009.

RIAL, C. Rodar: a circulação dos jogadores de futebol brasileiros no exterior. Horizontes Antropológicos, v. 14, n. 30, p. 21–65, 2008.

RIBEIRO, L.; PRONI, M. W.; ZAIA, F. H. Gestão empresarial do futebol num mundo de globalização. Várzea Paulista: Editora Fontoura, 2007.

RICHARDSON, D.; LITTLEWOOD, M.; NESTI, M.; BENSTEAD, L. An examination of the migratory transition of elite young European soccer players to the english premier league. Journal of Sport Sciences, v. 30, n. 15, p. 1605–1618, 2012.

RIGO, L. C.; SILVA, D. V.; RIAL, C. S. M. Formação de jogadores em clubes de uma cidade do interior: circulação, escolarização e inserção no Futebol profissional. Movimento, v. 24, n. 1, p. 263–274, 2018.

RODRIGUES, F. X. F. O fim do passe e as transferências de jogadores Brasileiros em uma época de globalização. Sociologias, v. 12, n. 24, p. 338–380, 2010.

SCHINKE, R. J.; MCGANNON, K. R.; BATTOCHIO, R. C.; WELLS, G. D. Acculturation in elite sport: a thematic analysis of immigrant athletes and coaches. Journal of sports sciences, v. 31, n. 15, p. 1676–1686, 2013.

SEBBEN, A. O preparo do atleta de futebol. Mesquita Online. 10 set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 maio. 2015.

SILVA, D. V.; RIGO, L. C.; FREITAS, G. S. Considerações sobre a migração, a naturalização e a dupla cidadania de jogadores de futebol. Revista da Educação Física da UEM, v. 23, n. 3, p. 457–468, 2012.

SOUSA, A. F. B. A adaptação intercultural da família: um estudo exploratório com expatriados portugueses. 2014. 119p. Dissertação (Mestrado) - Instituto Politécnico do Porto, Vila do Conde, 2014.

STAHL, G. K.; MILLER, E. L.; TUNG, R. L. Toward a Boundaryless Career: A Closer Look at the Expatriate Career Concept and the Perceived Implications of an International Assignment. Journal of World Business, v. 37, p. 216–227, 2002.

STERNBERG, R. J. Psicologia cognitiva. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

TANURE, B.; EVANS, P.; PUCIK, V. Virtudes e pecados capitais: a gestão de pessoas no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

TEIXEIRA, F. Expatriados Futebol Clube. Belo Horizonte: Editora do autor, 2014.

TEIXEIRA, S.; DIZ, H. Estratégias de internacionalização. Lisboa: Publisher Team, 2005.

TERTULIANO, I. W. Processo de expatriação de voleibolistas: Concepções Bioecológicas.284p. Tese (Doutorado) 2016. Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2016.

TIBBERT, S. J.; ANDERSEN, M. B.; MORRIS, T. What a difference a “Mentally Toughening” year makes: The acculturation of a rookie. Psychology of Sport and Exercise, v. 17, p. 68–78, 2015.

TIESLER, N. C. Three types of transnational players: differing women’s football mobility projects in core and developing countries. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, n. 2, p. 201–210, 2016.

WEEDON, G. “Glocal boys”: exploring experiences of acculturation amongst migrant youth footballers in premier league academies. International Review for the Sociology of Sport, v. 47, n. 2, p. 200–216, 2011.

ZWIELEWSKI, G. Desafios da Expatriação. Gestão de carreira online. 20 jul. 2009. Disponível em: . Acesso em: 5 jul. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.24883%2Fric.v9i1.300

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.


 Atelier Brasil
Rua Pe. Guilherme Pompeu, 01, Centro
06501-055, Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
(e-ISSN 2236-210X – DOI 10.24883)

Contato institucional: profdrpassos@gmail.com.br



  Indexadores e Diretórios                    
             


SitesDOMÍNIO PÚBLICO CAPES l IAFIE l SCIP l IAFIE l USP l FMU  l ABRAIC SEER/IBICT  l ISSN l EventosANPAD l NormasABNT

 

Visualização no Brasil e no Mundo por localização e período: