A IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÃO NO CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE: UMA INOVAÇÃO PARA MAIOR COMPETITIVIDADE NAS DIRETRIZES DE GESTÃO DE RISCO

Ana Cláudia Rossetto Silva, Carlos Francisco Bitencourt Jorge, Murilo Henrique Ravanholi Zanotto, Daniel Forli Santos, Gabriel Mota Valgas Locatelli

Resumo


A informação deve ser tratada como recurso no contexto da Sustentabilidade e na gestão de riscos, sendo vista como estratégica e fundamental para as organizações. Por meio de levantamento bibliográfico, esta afirmação foi reforçada, uma vez que a informação e sua gestão é tratada como crucial para as organizações, sendo esse recurso insumo desde o processo de comunicação até as tomadas de decisões. Evidenciou-se que a gestão desse recurso é muitas vezes precária nas organizações, e com isso, afeta atividades estratégicas, em especial aquelas que necessitam demonstrar ações sustentáveis e a gestão de riscos. Nesse sentido o uso da gestão da informação atrelado com o gerenciamento de riscos no contexto da sustentabilidade pode gerar inúmeros ganhos para as organizações, afinal, a informação pode ser elo responsável por ligar todos os processos e construir inúmeros indicadores para as organizações, sendo estes indicadores imprescindíveis para as organizações nesse novo cenário de desenvolvimento sustentável. O presente artigo realizou o método exploratório e, utilizou pesquisas bibliográficas para capturar informações sobre sustentabilidade, gestão de riscos e da informação enquanto recurso, bem como a sua gestão. Dessa maneira, foi realizada a construção da integração da sustentabilidade, gestão da informação com a gestão de riscos, possibilitando assim uma melhor compreensão do papel das informações como recurso estratégico para as organizações que monitoram e analisam riscos no contexto da sustentabilidade.

 

Palavras-chave


Informações; Sustentabilidade; Gerenciamento de Risco; Inovação

Texto completo:

PDF

Referências


ALTENFELDER, R. Desenvolvimento sustentável. Gazeta Mercantil, 2004.

Araújo, G. C., Bueno, P., Sousa, A. A., Mendonça, P. S. M. (2006). Sustentabilidade Empresarial: Conceito e Indicadores. In: III CONGRESSO ONLINE DE ADMINISTRAÇÃO, Anais... São Paulo. 2006.

BARBOSA, L. O jeitinho brasileiro: a arte de ser mais igual que os outros. Elsevier. 2006.

CAUTELA, A. L.; POLIONI, F. Sistemas de informação. Livros científicos e Técnicos. 1982.

CASAGRANDE JR, E. F. Inovação tecnológica e sustentabilidade: possíveis ferramentas para uma necessária interface. Revista Educação & Tecnologia, v. 8, 2004. Disponível em < http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1136/733>. Acesso em: 9 set. 2019.

CLARO, P. B. O.; CLARO, D. P.; AMÂNCIO, R. Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. RAUSP MANAGEMENT JOURNAL, v. 43 n. 4, 2004. Disponível em < http://www.spell.org.br/documentos/ver/4417/entendendo-o-conceito-de-sustentabilidade-nas-o--->. Acesso em: 19 set. 2019.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac São Paulo. 2003.

CORAL, E. Modelo de planejamento estratégico para a sustentabilidade empresarial. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – Santa Catarina. 2002. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/82705 >. Acesso em: 19 set. 2019.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L.; WILSON, H. J. What's the big idea?: Creating and capitalizing on the best management thinking. Harvard Business Press. 2003.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. Futura. 2000.

DONAIRE, D. Gestão Ambiental na empresa. 2. ed.–15 reimpr. São Paulo: Atlas. 2011.

DRUCKER, P. Além da revolução da informação. HSM Management, v.18, n.1/2, 2000.

EARL, M. J. Todo negócio diz respeito a informações. In: DAVENPORT, T.; MARCHAND, D. A.; DICKSON, T. (Orgs.). Dominando a gestão da informação. Porto Alegre: Bookman. 2004.

GALWAY, L. Quantitative risk analysis for project management: A critical review. Retrieved December, v.13, 2004. Disponível em: < https://www.rand.org/content/dam/rand/pubs/working_papers/2004/RAND_WR112.pdf>. Acesso em: 11 set. 2019.

Gil, A. C. Métodos e técnicas da pesquisa social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n.118. 2003. Disponível em: . Acesso em: 9 maio. 2019.

NAKASHIMA, D. T. V.; CARVALHO, M. M. Identificação de riscos em projetos de TI. In: Encontro nacional de engenharia de produção, Florianópolis – Santa Catarina. 2004.

Pereira, A. L., et al. M. Logística reversa e sustentabilidade. São Paulo: Cengage Learning. 2012.

PHILIPPI, L. S. A construção do desenvolvimento sustentável. In: LEITE, A. L. T. A; MININNI-MEDINA, N. Educação Ambiental (Curso básico à distância) Questões Ambientais–Conceitos, História, Problemas e Alternativa, 2001.

PONJUÁN DANTE, G. Gestión de la información: dimensiones e implementación para el éxito organizacional. Nuevo Parhadigma. 2004.

ROVAI, R. L. Modelo para gestão de riscos em projetos: estudo de múltiplos casos. 2005. Tese (Doutorado) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-01092006-180244/pt-br.php>. Acesso em: 9 ago. 2019.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Editora Garamond. 2000.

SCHMITZ, E. A.; ALENCAR, A. J.; VILLAR, C. B. Modelos qualitativos de análise de risco para projetos de tecnologia da informação. Brasport. 2006.

SCHUYLER, J. R. Risk and decision analysis in projects. Project Management Inst. 2001.

SORRENTINO, M.; DE TBILISI A. T. A educação ambiental no Brasil. In.: SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Estado do Meio Ambiente/Coordenadoria da Educação Ambiental. Educação, meio ambiente e cidadania. Reflexões e experiências. CASCINO, F., JACOBI, P., OLIVEIRA, JF (Orgs.). São Paulo. SP: SMA/CEAM. 1998.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da Informação e Gestão do Conhecimento em ambientes organizacionais. Tendências da Pesquisa Braileira em Ciência da Informação, v. 1, n. 1. 2008 Disponível em . Acesso em: 9 mai. 2019.

VALENTIM, M. L. P. Processo de inteligência competitiva organizacional. In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2007. 2.ed. Marília: FUNDEPE Editora.

Valentim, M. L. P., & CERVANTES, B. O processo de inteligência competitiva em organizações. DataGramaZero, Rio de Janeiro, 4(3), 2003. P. 1-23. Disponível em . Acesso em:9 ago. 2019.

WIDEMAN, M., & HAIMES, Y. Project and Program Risk Management. A Guide to Managing Project Rick and Opportunities, Project Management Institute. 1992.

WILSON, T. D. A problemática da gestão do conhecimento. In: TARAPANOFF, K. (Org.). Inteligência, informação e conhecimento. Brasília: IBICT; UNESCO. 2006.




DOI: https://doi.org/10.24883/ric.v9i4.350

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 Atelier Brasil
Rua Pe. Guilherme Pompeu, 01, Centro
06501-055, Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
(e-ISSN 2236-210X – DOI 10.24883)

Contato institucional: profdrpassos@gmail.com.br



  Indexadores e Diretórios                    
             


SitesDOMÍNIO PÚBLICO CAPES l IAFIE l SCIP l IAFIE l USP l FMU  l ABRAIC SEER/IBICT  l ISSN l EventosANPAD l NormasABNT

 

                                                                              Visualização no Brasil e no Mundo por localização e período