RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: OS IMPACTOS NO SETOR PRIVADO E O GANHO DE COMPETITIVIDADE

Bruno Bastos de Oliveira, Marisa Rossignoli

Resumo


O Estado exercer função essencial no que tange a regulação ambiental. Porém, há necessidade de adequar a essa realidade a ideia de expansão da responsabilidade socioambiental das empresas, sendo possível perceber a crescente preocupação do setor privado na implementação de projetos de responsabilidade socioambiental, motivada pela forte regulação existente na área, bem como pela pressão social para a adoção de medidas que protejam o meio ambiente e ensejem a utilização dos recursos de maneira sustentável. Assim, objetiva-se discutir como a responsabilidade socioambiental apresenta impactos no setor privado, partindo-se da hipótese que há ganho de competitividade. Desta forma, a pesquisa utiliza do método dedutivo e de pesquisa bibliográfica para alcançar os objetivos. Verifica-se significativo ganho de competitividade no mercado por parte das organizações que se adequam a essa realidade, concluindo que as empresas estão buscando se adequar às regras de conformidade ambiental, sendo positivo tanto para efetivação da sustentabilidade quanto para o ganho de competitividade.


Palavras-chave


Competitividade; Responsabilidade Socioambiental; Setor privado; Sustentabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


Abílio, F. J. P. (2008). Meio Ambiente e Desenvolvimento Bases para uma formação interdisciplinar. João Pessoa: Editora Universitária. UFPB.

Acselrad, H., Mello, C. C. A., & Bezerra, G. D. N. (2009). O que é justiça ambiental?

Andrade, M. O. (2008). Meio Ambiente e Desenvolvimento Bases para uma formação interdisciplinar. João Pessoa: Editora Universitária. UFPB.

Aquino, A. R. D., Almeida, J. R. D., & de Abreu, I. G. O. R. (2008). Análise de sistemas de gestão ambiental: ISO 14.000-ICC-EMAS.

Benjamin, A. H. V. (2003). O Estado teatral e a implementação do direito ambiental. In Congresso Internacional de Direito Ambiental. Anais (Vol. 7, pp. 335-366).

Benjamin, A. H. V. (1992). Os princípios do estudo de impacto ambiental como límites da discricionariedade administrativa. EN: Revista Forense, 88.

Brasil, S. F. do (1988). Constituição da república federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm. Acesso em: 01 jun. 2019.

Hoffman, A. (1997). From Heresy to Dogma: An Institutional History of Corporate Environmentalism.

Lasbik, T. A. & Gomes, M. F. (2019) A mineração sustentável como fator essencial à promoção da dignidade e dos Direitos Humanos. Revista Prim@ Facie, João Pessoa, v. 17, n. 36, p. 1-29. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/primafacie/article/view/38384/21393. Acesso em: 29 de nov. 2019.

Leff, E., & Cabral, L. C. (2006). Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza. In Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza.

Milaré, E. (2007). Direito do ambiente: doutrina, jurisprudência, glossário. In Direito do ambiente: doutrina, jurisprudência, glossário.

Santos, T. F. dos & Freitas, C. P.. Logística reversa como instrumento essencial à efetivação da responsabilidade ambiental empresarial (2017). Revista Prim@ Facie, v. 16, n. 32, p. 1-35. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/primafacie/article/view/34157/17961. Acesso em: 01 de dez. 2019.

Scott, W. R. (1992). The organization of environments: Network, cultural, and historical elements. Organizational environments: Ritual and rationality, 45, 70.

Johnston, R., Chambers, S., & Slack, N. (1997). Administração da produção. São Paulo: Atlas.

Tombs, S., & Whyte, D. (2016). La empresa criminal: por qué las corporaciones deben ser abolidas. Icaria.

da Vinha, V. (2003). Regulação e Auto-Regulação no Contexto do Desenvolvimento Sustentável e da Responsabilidade Social Empresarial: o caso do setor de petróleo & gás. III Seminário de Economia do Meio Ambiente: Regulação Estatal e Auto-regulação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável. IE/UNICAMP. Disponível em:http://www.ie.ufrj.br/gema/pdfs/regulacao_e_auto_regulacao_no_contexto_do_desenvolvimento_sustentavel.pdf. Acesso em: 13 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.24883/ric.v9i4.352

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 Atelier Brasil
Rua Pe. Guilherme Pompeu, 01, Centro
06501-055, Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
(e-ISSN 2236-210X – DOI 10.24883)

Contato institucional: profdrpassos@gmail.com.br



  Indexadores e Diretórios                    
             


SitesDOMÍNIO PÚBLICO CAPES l IAFIE l SCIP l IAFIE l USP l FMU  l ABRAIC SEER/IBICT  l ISSN l EventosANPAD l NormasABNT

 

                                                                              Visualização no Brasil e no Mundo por localização e período