ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO PRISÕES PSÍQUICAS: REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA

Fernanda Rocha Bortoluzzi, Greice Daniela Back, Janine Cardoso Rocha, Éric Dorion

Resumo


No Mito da Caverna, o prisioneiro é o próprio homem, ele enxerga e acredita apenas em imagens criadas pela cultura, conceitos e informações que recebe durante a vida. A caverna simboliza o mundo, pois apresenta imagens que não representam a realidade. Neste estudo utilizou-se a metáfora das prisões psíquicas para fazer uma analogia com as organizações vistas como prisões psíquicas. A pesquisa baseou-se em autores clássicos como Freud, Platão e Taylor para verificar se atualmente é possível visualizar prisões psíquicas nas organizações. O método utilizado foi uma revisão sistemática da literatura. Como resultados foi possível responder a questão de pesquisa relacionando as publicações sobre o tema prisões psíquicas nas organizações com os seguintes temas: desempenho organizacional, aprendizagem organizacional e mudança organizacional.


Palavras-chave


Mito da caverna. Prisões psíquicas. Organizações.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, G.Empriseetdégagementdanslesorganisations et lesrelations de travail.Revue de PsychotherapiePsychanalytique de Groupe, v. 51, n. 2, p. 15-32, 2008.

An interview with Dr Marcus Longley, Acting Director and Professor of Applied Health Policy at the Welsh Institute for Health and Social Care.Leadership in Health Services, v. 21, n. 3, 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 4 ed. Lisboa/Portugal: Edições 70, Ltda, 2009.

BENNETT, J.The relationship between team and organisational learning.International Journal of Health Care Quality Assurance, v. 14, n. 1, p. 14-20, 2001.

BOYCE, M. E.Organizational story and storytelling: a critical review. Journal of Organizational Change Management, v. 9, n. 5, p. 5-26, 1996.

CASTRO, A. A. Curso de revisão sistemática e metanálise. São Paulo: LED-DIS/UNIFESP, 2006. Disponível em: Acesso em: 21 fev. 2008.

CHUNG, E. Navigating the primordial soup: charting the lived worlds of the migrant consumer. Journal of Consumer Marketing, v. 17, n. 1, p. 36-54, 2000.

DECHANT, K., MARSICK, V.J. AND KASL, E. “Towards a model of team learning'', Studies in Continuing Education, v. 15, n.1, p. 1-14, 1993.

DIXON, J.; DOGAN, R.A philosophical analysis of management: improving praxis. Journal of Management Development, v. 22, n. 6, p. 458-482, 2003.

EMERALD: Emerald Group Publishing Limited [Internet]. Emerald (Reino Unido): citado em 2013. Disponível em http://www.emeraldinsight.com.

FREUD, S. Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud - Vol. XVIII. Rio de Janeiro, Imago Editora, 1996.

GRAHAM-HILL, S.; GRIMES, A. J.Dramatism as method: the promise of praxis. Journal of Organizational Change Management, v. 14, n. 3, p. 280-294, 2001.

GRIEVES, J. Introduction: the origins of organizational development.Journal of Management Development, v. 19, n. 5, p. 345-447, 2000.

GRIEVES, J.Navigating change into the new millennium: themes and issues for the learning organization. The Learning Organization, v. 7, n. 2, p. 54-74, 2000.

HANCOCK, P.; JEWKES, Y. Architecturesofincarceration: The spatialpainsofimprisonment. PunishmentandSociety, v. 13, n. 5, p. 611-629, 2011.

HUSSAIN, Z.; HAFEEZ, K. Changing attitude esand behavior of stakeholders duringaninformation systems ledorganizational change. JournalofAppliedBehavioral Science, v. 44, n.4, p. 490-513, 2008.

KEYS, P. Operationalresearch in organizations. A metaphoricalanalysis. Journal of the Operational Research Society, v. 42, n. 6, p. 435-446, 1991.

LANGE, E. A.; KERR, S. G. A ccountingand incentives for sustainability in higher education: Aninter disciplinary analysis of a neededrevolution.Social Responsibility Journal, v. 9, n. 2, p. 210-219, p. 210-219, 2013.

LEIJON, S.; SÖDERBOM, A.Builders and cleaners: A longitudinal study of strategic narratives. Journal of Organizational Change Management, v. 21, n. 3, p. 280-299, 2008.

LONG, S.; NEWTON, J.Educating the gut: socio-emotional aspects of the learning organization. Journal of Management Development, v. 16, n. 4, p. 284-301, 1997.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: foco na decisão. Tradução Opportunity Translations. Revisão técnica Maria Cecília Laudísio e Guilherme de Farias. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

MARTIN, G.; REDDINGTON, M. Reconceptualising absorptive capacity to explain the e-enablement of the HR function (e-HR) in organizations. Employee Relations, v. 31, n. 5, p. 515-537, 2009.

MENDES, A. L. L.; FRACOLLI, L. A. Revisão sistemática de literatura e metassíntese qualitativa: considerações sobre sua aplicação na pesquisa em enfermagem. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 771-779, out./dez. 2008.

MIDDLETON, C. A.; CUKIER, W. Is mobile emailfunctionalordysfunctional? Twoperspectiveson mobile emailusage. European Journalof Information Systems, v. 15, n.3, p. 252-260, 2006.

MORGAN, G. Imagens da Organização. Tradução: Cecília Whitaker Bergamini, Roberto Coda. São Paulo: Atlas, 1996.

MROTEK, D. D. The drama of dysfunction: Valueconflict in US managedcare. HumanRelations, v. 54, n.2, p. 147-172, 2001.

MÜLLER, S.D.; MATHIASSEN, L.; BALSHØJ, H.H.Software ProcessImprovement as organizationalchange: A metaphoricalanalysisoftheliterature. Journal of Systems and Software, v. 83, n.11, p. 2128-2146, 2010.

PHILLIPS, B. Energy and performance: the power of metaphor. Career Development International, v. 3, n. 1, p. 18-22, 1998.

PLATÃO. A República de Platão. Tradução: Enrico Corvisieri. São Paulo, Nova Cultural, 2001.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. v-vi , jun. 2007.

SYKES, G.; SIMPSON, M.; SHIPLEY, E.Training and empowerment improve performance: a case study. Integrated Manufacturing Systems, v. 8, n.2, p. 90-102, 1997.

SCOPUS: SciVerse Scopus [Internet]. Elsevier (Espanha): citado em 2013. Disponível em http://www.scopus.com

TAYLOR, F. W. Princípios de Administração Científica. Tradução: Arlindo Vieira Ramos. 8ª Ed. São Paulo: Atlas, 1990.

THORNE, M. L. Interpreting corporate transformation through failure. Management Decision, v. 38, n. 5, p. 305-314, 2000.

VALLIERE, D.; PETERSON, R. Inflatingthebubble: Examiningdot-com investorbehaviour. Venture Capital, v. 6, n.1, p. 1-22, 2004.




DOI: https://doi.org/10.24883/ric.v6i4.170

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 Atelier Brasil
Rua Pe. Guilherme Pompeu, 01, Centro
06501-055, Santana de Parnaíba, São Paulo, Brazil
(e-ISSN 2236-210X – DOI 10.24883)

Contato institucional: profdrpassos@gmail.com.br



  Indexadores e Diretórios                    
             


SitesCRASPDOMÍNIO PÚBLICO CAPES l IAFIE l SCIP l IAFIE l USP l FMU  l ABRAIC SEER/IBICT  l ISSN l EventosANPAD l NormasABNT

 

                                                                              Visualização no Brasil e no Mundo por localização e período